13 dicas se o seu bebê não para de chorar

13 dicas se o seu bebê não para de chorar 1

Um bebé normal e saudável chora, às vezes, muito. O choro do bebê saudável segue uma curva que começa com 2 semanas de vida, e tem um pico em torno dos 2-3 meses, e diminui a partir dos 4-5 meses de idade. Nos prematuros esta curva geralmente se adequar à sua idade corrigida.

É o que se conhece como ‘período do choro inconsolável’, ou às vezes ‘cólicas do lactente’. Caracteriza-Se porque é um choro dificilmente consolable, o bebê coloca cara de dor, e costuma ocorrer nas primeiras horas da tarde e da noite. Pode chegar a durar mais de 5 ou 6 horas por dia.

Esse choro é normal e não indica sempre que exista uma necessidade ou dor. Normalmente, não há que atribuirlo a alergias alimentares, ou a outras doenças. Também não significa que sejamos maus pais, nem deve ser motivo para retirar a amamentação com a ideia errada de que a criança fica com fome, ou não se sentir bem o leite materno”, afirma uma campanha contra a síndrome da criança zarandeado pôr em marcha pelo Hospital 12 de Outubro de Madrid, com o objetivo de reduzir ao máximo este tipo de lesões-tratos, causados geralmente por desespero dos pais diante de um choro inconsolável do mais pequeno, o que lhe zarandean.

Assim, garante que, se o bebê come-se bem, molha vários fraldas por dia, cresce e ganha peso adequadamente, não vomitar em excesso, não apresenta diarreia e sangue nas fezes, não tem febre, e tem entre 15 dias e 6 meses de idade, o mais provável é que esteja dentro do período do ‘choro inconsolável’. Não obstante, diz que deve recorrer ao médico se está preocupado com o choro, ou não sabe como consolá-lo.

Atualmente, indica, por sua vez, que se sabe que o choro pode prevenir mantendo a criança em contato permanente com sua mãe ou cuidador. Por isso, é recomendável responder precocemente ao choro, pegar o bebê muito a nos braços, e colocá-lo ao peito, frequentemente, calmarle.

“Esta medida é mais eficaz do que qualquer outra intervenção, e não malcría a criança. Quando você pega seu filho nos braços, a criança aprende a se sentir seguro, para identificar o seu cheiro e o tom de sua voz. Igualmente, pode portear seu filho, utilizando diferentes cachecóis ou lenços canguru ou mochilas, desde que os use de forma segura. Pegar o bebê no colo quando você não está chorando irá ajudá-lo a relaxar antes quando ele começar a chorar”, diz a campanha do Hospital 12 de Outubro.

Não obstante, indica que não existe nenhuma técnica milagrosa e o que funciona em uma ocasião pode não funcionar sempre. “Alguns pais inscritos em lista de diferentes atividades para acalmar a criança, passar de uma atividade para outra e pensar que ainda lhes resta uma coisa que tentar ajuda-os a gerir melhor o seu estresse. É importante que tenham em mente que este período de ‘choro inconsolável’ é transitório e tem um fim”, acrescenta.

Se, apesar de tentar acalmar o seu bebê de diferentes formas, ele continua chorando inconsolablemente, “não significa que você esteja fazendo de errado, nem que seu bebê esteja doente, mas que esta é a forma habitual em que os bebês choram nos primeiros meses de vida”.

“Nem você, nem seu filho têm culpa”, garante. Se o choro do bebê fica muito nervoso a um dos pais, é preferível que tente acalmá-lo, aquele que estiver mais relaxado, aconselha. Se você está sozinho e começa a se sentir frustrado, é preferível que deixe a criança de barriga para cima em seu berço, certificar-se de que tem todas as suas necessidades cobertas (não tem fome, frio ou calor, e tem a fralda limpa), e deixá-lo sozinho em seu quarto enquanto você faz uma pausa e se acalma, monitorando cada 10-15 minutos que a criança continua bem.

O choro não prejudica o bebê, e é possível que consiga se acalmar sozinho e parar de chorar por si mesmo. É normal que este tipo de choro que lhe produza frustração e lhe gere raiva e impotência, é uma resposta emocional normal. O importante é que você não reagir violentamente contra esse sentimento zarandeando seu bebê para rua. Sacudir o bebê não apenas piorar a situação, mas que podem vão te machucar gravemente”, adverte.

Por isso, a unidade de Neurologia infantil e de Neuropsicologia Infantil do Hospital Universitário 12 de Outubro elaborou uma lista com 13 recomendações para acalmar o bebê neste tipo de casos:

1.- O mais importante: ficar tranquilo. Transmítale sua tranquilidade à criança. Não perca a calma e nunca agitar o bebê.

2.- Pegá-lo nos braços, logo, não espere que o choro vá a mais.

3.- Colocar o peito. Se não toma a peito oferecer-lhe uma chupeta ou um dedo para que o succione.

4.- Certificar-se de que as suas necessidades estão satisfeitas: não tem fome, frio ou calor, e tem a fralda limpa.

5.- Verifique se apresenta algum sinal de estar doente, como febre ou mal cor.

6.- Acercárselo ao peito, melhor “pele com pele” (o peito de você e seu bebê nudez). Falar-lhe docemente, cantar, ou respiração lenta, profunda e tranquilamente.

7.- Passear com ele nos braços. Você pode tentar diferentes posições: deitar-lhe sobre o ombro, colocar de bruços, com uma mão sobre a barriga, envolverle com um lenço canguru ou mochila.

8.- Dar-lhe um banho relaxante.

9.- Tirá-lo de passeio, seja no seu carrinho de criança, ou no carro da família (colocando-o sempre em uma cadeira de segurança adequada).

10.- Ouvir zumbidos, como o ruído de um aspirador de pó, secador de cabelo, uma banheira enchendo-se de água ou um CD de ruído branco.

11.- Chamar um amigo ou familiar que cuida do bebê enquanto você está faz uma pausa.

12.- Se nenhuma destas recomendações funciona ( e a recomendação mais importante para prevenir agitar a um bebê) coloque o bebê no berço de barriga para cima e, se é preciso fechar a porta de seu quarto para não ouvir o choro fazê-lo. Voltar para ver como está o bebê a cada 5-10 minutos para verificar que continua bem.

13.- Leve a criança ao pediatra se nada parece ajudar e não pára de chorar, se alguma razão médica pudesse explicar sua inquietação.